quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Teresinhas na Estrada


Nos dias 09 e 10 de agosto, o Grupo Meme encarou a estrada e subiu à serra gaúcha levando a sua mais nova produção “Teresinhas”. Foi a primeira vez que o espetáculo foi apresentado fora de Porto Alegre e o retorno não poderia ter sido melhor. O público caxiense compareceu em peso nas duas noites, aquecendo o simpático Teatro Municipal com sua calorosa presença deixando toda a equipe com um sentimento muito agradável de missão cumprida.
Ao contrário do que muitos podem pensar, viajar com um espetáculo requer organização e eficácia. A produção possui um papel importantíssimo nesse quesito, pois é ela que cuida de questões como o transporte, reservas em hotel, a alimentação da equipe, etc. Ou seja, é a produção que faz com que a coisa como um todo aconteça. Detalhes tão essenciais como a água do camarim para os bailarinos, por exemplo. Imagine se uma bailarina precisasse sair em busca de água ou de um lanche no meio de um ensaio ou de sua maquiagem, enfrentando o frio da serra gaúcha? Nossa equipe de produção contou com a agilidade do
assistente Enzo Zuboski Maurer e com o nosso produtor nessa viagem, o sempre gentil Tiago Rinaldi.
Agora, de que adiantaria todo esse esforço se na hora do espetáculo não tivéssemos uma bela luz para dar o clima que ele pede? A operação de luz é uma das tarefas mais importantes, pois a luz é como um personagem em cena e requer tratamento diferenciado e especial. O Teatro contava com uma equipe de técnicos muito capaz que ajudou na montagem de luz. A operação ficou a cargo do Memético Miguel Sisto que com a ajuda do diretor e coreógrafo Paulo Guimarães conseguiu passar pelo seu batismo de fogo servindo-nos com a bela iluminação criada por Fabrício Simões.
Ok, temos a produção, a luz, mas ainda falta um elemento fundamental: o cenário, que no caso de Teresinhas teve a assinatura de Rudinei Morales. Na chegada em Caxias, logo após descarregar a van, nossa equipe em peso desdobrou-se na tarefa de aparafusar e montar as estruturas de metal que servem de suporte para os biombos em cena. Bailarinas, produção, diretor, todos juntos concentrados em dar vida ao palco, criando o mundo por onde passariam as nossas “Teresinhas”.
Esqueci de falar da nossa querida Tesoureira, Angela Coelho. Afinal, vivemos num mundo onde nada é de graça, não é? E para isso lá está a Angela com a sua discrição e sua bolsinha, organizada e honesta, garantindo que nossas contas fossem todas pagas “tintin por tintin”.
Importantíssimo salientar: dinheiro não cai do céu. A ida do Meme à Caxias teve o apoio e o patrocínio das empresas HD Rivets, Sulcromo, Duroline, Foca, Metaltecss e promoção do Clube do Assinante ZH. O nosso muito obrigado a essas empresas e que outras sigam o seu exemplo, pois um país não se constrói sem arte e esta precisa de pessoas que acreditem e invistam nela. Todos, com certeza, saem ganhando: artistas, empresários e público.
Last but noy least: “Teresinhas” tem a direção e coreografia de Paulo Guimarães, coordenador do Meme e capitão desse navio!! Sério quando precisa ser, brincalhão quando a hora permite, sua extrema generosidade é a linha que une todos esses pontos, fazendo com que o trabalho seja suave sem perder a sua precisão.
Ah, e eu ia esquecendo, nós somos as Teresinhas: Angela Coelho, Ariane Donato, Adriane Vieira, Fernanda Stein, Marina Stumpf, Thais de Freitas e Wal Araujo.

Um comentário:

Tiago disse...

Realmente, essa apresentação mostrou que produção é coisa séria, sim! Adorei trabalhar com todos, aprendi muito nesse fim de semana. Parece que temos mais desafios pela frente... então... qual será nosso próximo destino?

Beijos,

Tiago.